Comunicado de imprensa

mar
11

Detetada ciberameaça ativa que explora vulnerabilidades do Exchange Server

A WatchGuard oferece uma série de recomendações para mitigar os efeitos desta nova campanha generalizada contra servidores Exchange

Lisboa, 11 de março de 2021 – Numa altura em que a comunidade de cibersegurança ainda lida com os efeitos do ataque SolarWinds, o Microsoft Threat Intelligence Center (MSTIC) divulga informações sobre uma outra campanha generalizada que tem como alvos servidores Exchange.

Trata-se de uma ciberameaça patrocinada por um estado, denominada HAFNIUM, que está a explorar vulnerabilidades de dia zero encontradas em software de servidor Exchange on-premises. São quatro as vulnerabilidades identificadas pelo MSTIC desde a ocorrência do incidente, sendo que visam exclusivamente servidores Exchange on-premises, o que significa que os servidores Cloud Exchange não são afetados por estas vulnerabilidades.

O ataque é realizado pela exploração, em primeiro lugar, de uma vulnerabilidade de falsificação de solicitação do lado do servidor (SSRF), permitindo que todo o conteúdo da caixa de correio de um utilizador seja roubado. O invasor apenas necessita de saber o servidor que está a executar o software Exchange e a conta que pretende atacar. O atacante encadeia então este exploit com um exploit secundário, que permite a execução remota de código no servidor Exchange de destino. Outra vulnerabilidade também faz parte destes exploit encadeado, permitindo que os hackers gravem um ficheiro em qualquer caminho no servidor. Por último, a quarta vulnerabilidade permite executar código como SYSTEM após explorar uma vulnerabilidade insegura no

A Microsoft lançou um patch para todas as quatro vulnerabilidades, assim como para outras, e solicita a todos que tenham servidores Exchange locais que corrijam os seus sistemas de imediato. Embora a ameaça HAFNIUM seja a primeira a explorar estas vulnerabilidades, a Microsoft reporta um aumento no número de ataques a sistemas não corrigidos por parte de diferentes ciberameaças.

Medidas de resposta a estas ameaças

Para manter os sistemas protegidos contra estas vulnerabilidades, a WatchGuard faz as seguintes recomendações:

  1. Identificar e corrigir sistemas Exchange Server vulneráveis com as atualizações de segurança emitidas pela Microsoft
  2. Recorrer a mitigações alternativas fornecidas pela Microsoft sempre que não for possível implementar patches de imediato.
  3. Usar o script PowerShell da Microsoft para procurar indicadores de comprometimento no seu servidor Exchange.
  4. Ativar os serviços de segurança da WatchGuard para uma proteção adicional

 

Para mais informações acerca destas vulnerabilidades do Exchange, clique aqui.

Sobre a WatchGuard Technologies, Inc.

A WatchGuard® Technologies, Inc. é líder global em segurança de rede, segurança de endpoints, Wi-Fi Seguro, autenticação multifator e inteligência de rede. Os premiados produtos e serviços da empresa são adotados em todo o mundo por mais de 18.000 revendedores de segurança e prestadores de serviços, para proteger mais de 250.000 clientes. Nossa missão é tornar a segurança corporativa simples e acessível a organizações de todos os tipos e tamanhos, o que faz da WatchGuard a solução ideal para empresas de médio porte e distribuídas. A WatchGuard tem sede em Seattle, Washington, EUA, com escritórios na América do Norte, na Europa, na América Latina e na região do Pacífico. Para saber mais, acesse WatchGuard.com.

Para obter informações adicionais, promoções e atualizações, siga a WatchGuard no Twitter @WatchGuardTech, no Facebook ou na página do LinkedIn Company.

 

WatchGuard é uma marca registrada da WatchGuard Technologies, Inc. Todas as demais marcas são de propriedade de seus respectivos proprietários.

 

 

Contatos

Chris Warfield
WatchGuard Technologies
206.876.8380

 


Kit de Mídia

Todos os comunicados de imprensa